Brasil

Os piores pesadelos dos meus antepassados, tão distantes, contados como histórias, se concretizam perante meus olhos.
As pessoas morrem, as dores ficam. São herdadas.
Genéticamente entrelaçadas, como as tramas cíclicas da história.
Houveram mesmo tempos de paz? O que é a paz?
Há lugares em que este conceito sequer existe.
Mas em algumas consciências ele reside.
Sobreviver é o objetivo. Sem saber por que. Por quem.
O como, o quando e o onde são mistérios, contos, folclore.
O cotidiano muda dependendo do seu design. Mas você não tem como escolher outra pele pra vestir, nem outra vida, nem onde se quer existir.
Na imprensa de grande importância mundial, tu é só um marginal, nascido de uma terra roubada pelo dono do jornal.

E aceitamos hastear bandeiras, abana-los com folhas de bananeiras, brigar por suas riquezas, em troca do falso título de realeza.

Uma bandeira que nasceu hasteada ao contrário.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s